Como escolher as fotos que vão para o álbum?

January 2, 2019

 

 

 

 

Essa realmente não é uma tarefa fácil, entre diversas fotografias lindas escolher algumas que serão eternizadas no álbum. Por isso montei esse guia compartilhando um pouco da minha experiência e expondo as minhas opiniões/orientações para a confecção de um álbum que mereça lugar especial na sua estante e no seu coração (isso é quase poético).

As dicas estão organizadas em forma de “checklist” e por passos, porque eu acho o máximo essas listinhas e também para que você acompanhe e entenda o modelo mental utilizado.


1. Quantas fotos eu escolho para fazer parte do livro?

Uma seleção enxuta, de forma que o livro não fique poluído, garante uma narrativa leve e muitos "uaus" por parte dos seus amigos e familiares. Minha indicação, para um livro de 40 páginas como o seu, é a escolha de 100 a 120 imagens. Caso você escolha um número maior do que esse, adicione algumas páginas de forma a manter o padrão estético.


2. E as fotos que eu fiz com os convidados entram no livro?

Aqui vale a pena relembrar que normalmente são entregues todas as imagens que ficaram legais em DVD, logo, acredito que não se faça necessário colocar todas elas no livro. Que tal dar uma simplificada, com uma foto de cada família ou coisa do gênero? Outra dica: caso você não tenha contratado, uma boa opção pode ser um álbum a parte (mais simples e menos custoso) para acomodar somente essas imagens de forma a não sobrecarregar o álbum principal.


3. Como faço para escolher? O que devo levar em conta?

A ideia do álbum não é contar "tim tim por tim tim" tudo o que aconteceu lá no dia do evento, até porque isso é impossível. Que tal levar em conta o moderno conceito de "storytelling" e contar a história de forma leve, livre, criativa e com imagens que instiguem a sua imaginação, induzindo o a sua imaginação a montar a história cada vez que você a revisita? Esse processo é extremamente prazeroso e instiga as pessoas a terminar de ver o livro e, muitas vezes, olhar novamente. Todas as imagens são suas e serão enviadas em alta resolução, logo, é desnecessário expor todas as cenas e fatos ocorridos na forma de "gibi".

Fuja de coisas óbvias como fotos de assinaturas e momentos protocolares/menos interessantes, priorize aquelas situações que realmente causaram frio na barriga e valem a pena ser lembradas.

Resumo da ópera: prefira inserir no álbum fotos de jóias de família, detalhes confeccionados artesanalmente por você e/ou amigos, momentos de emoção, enfim, coisas únicas e marcantes.


4. Pense de forma sistêmica!

Pense sempre que uma imagem de um, precisa da mesma do outro! Como assim????? Por exemplo:

> selecionei uma foto da mãe do noivo, preciso escolher outra da mãe da noiva;

> selecionei 2 fotos da entrada do noivo, preciso de duas da entrada da noiva;

Claro que os momentos de alto apelo emocional não contam.

Esse tipo de atitude garante uma composição equilibrada.


5. Valorize os ensaios!

Vocês sabem o quanto sou apaixonado pelos momentos belos retratos (pensados, iluminados e produzidos de forma artística), por isso, penso que deveríamos valorizar esses momentos com imagens grandes e imponentes no livro. No futuro, a beleza da nossa juventude vai revelar o valor verdadeiro dessas imagens. Quem, ao olhar um álbum antigo, nunca disse a frase: "Nossa! Como você estava linda."?


6. As fotos da balada também entram?

Sim, em especial aquelas com o casal em destaque e aquelas com as pessoas mais importantes. Mas é importante avisar quem são as pessoas e os destaques ao fotógrafo.  Imagina só se ele dá destaque para aquela "ficante" de um amigo do noivo que vocês conheceram só no dia do casamento! fica ruim, né?


Espero que aproveitem as dicas e tenham um lindo álbum de casamento.


Julio Appel

51 98251.2902 (whats app)

julioappel@gmail.com (e-mail)

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Fotógrafo de casamento em Porto Alegre / RS